terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Artigo: Quem são os maiores colecionadores?


Assim como um arqueólogo se orgulha de um achado histórico que encontrou, um colecionador traz sentimento similar por determinados itens raros que eventualmente encontra e adquiri para seu acervo pessoal...Como um verdadeiro achado. Assim como um artista plástico se orgulha quando sua escultura é admirada por muitos, o colecionador que customiza suas peças, que cria seus cenários em dioramas, também tem como maior recompensa de seu trabalho os elogios de quem os aprecia.
Construir ou adquirir uma grande coleção de itens de um mesmo segmento não é, nem nunca foi, tarefa simples e rápida...muito menos barata. São anos de busca, pesquisa e muito investimento no hobby...E no Brasil, verdade seja dita, o colecionador muitas vezes ainda depende do fator sorte para encontrar itens mais raros por preços razoáveis.
Hoje o segmento do colecionismo de action-figures, Die-cast, toys e afins não é diferente de outros mais antigos e cultuados por adultos como a numismática, filatelia, cartofilia, etc, e nem menos difícil ou cultuado.
Embora o ato de colecionar algo seja algo naturalmente egoísta, afinal outra verdade seja dita, quem coleciona algo é para seu prazer pessoal, muitos praticantes ou seguidores do hobby gostam de compartilhar a visão de seu acervo, de seus tesouros pessoais, com outros que também sabem apreciar os mesmos tanto quanto eles. Porém, é fato que em alguns casos, isso ultrapassa um limite de apreciação e admiração mútua, e torna-se algo competitivo para alguns, ou a busca por reconhecimento pessoal para outros.

A competitividade é algo natural do ser humano, e certamente toda pessoa busca reconhecimento pessoal, mas o colecionismo não é o caminho mais saudável e positivo para esses em ambos sentidos. Determinar qual "O maior colecionador" de qualquer segmento é algo totalmente subjetivo, pois o conceito "maior" segue diferentes variantes.
Por vaidade alguns colecionadores vangloriam-se auto-intitulos como "os maiores colecionadores de..." em segmentos específicos, mas a subjetividade de tal pensamento está no fato que na mesma proporção que há os que gostam e buscam compartilhar suas coleções, existirem também aqueles que as fazem em sigilo e descrição, de maneira mais intimista e pessoal.

Outro fator subjetivo está no conceito de "maior" que pode seguir diferentes interpretações, não somente pela quantidade de itens, mas também pela qualidade, variedade, organização e outras características que podem ser mais ou menos significativas de acordo com a interpretação de cada pessoa.

Pessoalmente quando comecei minha coleção não existia Internet ainda, dessa forma eu (assim como muitos que começaram a colecionar action-figures, toys e afins há mais de vinte anos) acreditava que eu era o único "louco" (no bom sentido) que cultuava como hobby colecionar "figuras ou bonecos" como eram simplesmente denominados na época, e por isso, não era incomum cultuar esse hobby de maneira bem discreta e pessoal, isso para evitar o "bullying" pejorativo em comentários e julgamentos, feitos pela ignorância de quem não entendia as motivações e o prazer pessoal de um adulto continuar cultuando e apreciando itens, que "na época", tinham como alvo principal o público consumidor infantil (o conceito de colecionáveis para adultos ainda não existia também).
A Internet possibilitou o contato dos colecionadores entre si, no Brasil e no mundo, criando grupos de debates, fóruns virtuais de colecionadores que passaram a compartilhar ideias, opiniões e informações...E isso amadureceu o hobby como algo sério e ainda mais cultuado hoje. Fabricantes seguiram essa tendência criando peças voltadas para colecionadores adultos, e comerciantes seguiram criando lojas temáticas para os mesmos.

Mas com a evolução do hobby, além dos pontos positivos, vieram os negativos em vendedores atravessadores em busca de lucro alto e rápido (assunto que abordamos em outro artigo AQUI), e na imaturidade de pessoas que começaram a cultuar o hobby também. 

Por isso, a mensagem desse artigo, seja para os iniciantes ou para os eternos aprendizes da vida (entre os quais me incluo), é destacar o fato que não existe "o maior colecionador" seja de qual segmento for, existem sim "os maiores", e esses são aqueles que sabem compartilhar e admirar o prazer em comum pelo hobby com outros, sem inveja, sem competição ...Pois além do colecionismo, estão as pessoas que o praticam, e essas não podem ser avaliadas pelo o que possuem materialmente em suas coleções, nem pela quantidade, variedade ou raridades presentes nas mesmas, mas sim pelo caráter dessas pessoas, e sua boa vontade em compartilhar não somente seu acervo, mas seu conhecimento para benefício mútuo dos que compartilham o mesmo gosto e prazer em comum por esse segmento de colecionismo. 
http://www.saladejustica-br.com/


 

7 comentários:

Buzzer disse...

Por essas e outras que eu disponibilizado scans do meu acervo de cartelas Comandos em Ação, G.I.Joe e em breve das caixas dos veículos. TEm gente que tem medo de perder o valor da coleção se alguém fizer cópias, ou que vai ajudar alguém a ganhar dinheiro sem nada em troca da venda das réplicas. Mas... se vc é colecionador e já tem o original, qual o problema de deixar alguém ter uma cópia? Quantas cópias existem da Monalisa? E todas são, sabidamente, cópias. Qual o problema de ter cópias da cartela do Cobra de Aço?

W. Alex. Silva disse...

Excelente artigo, Eder. Ninguém melhor que você, UM GRANDE COLECIONADOR e UM GRANDE SABEDOR, para esclarecer exatamente o que quer dizer "O maior colecionador de...". Parabéns e um grande abraço!

Ivan Davis disse...

Parabéns pelo post!

Julio Figures disse...

Muito bom meu amigo, faço minhas as suas palavras, abçs

Nichollas Planeta Aranha disse...

BACANA... tanto o artigo qto os comentarios....

Nichollas Planeta Aranha disse...

muito bacana o artigo e a opinião do Buzzer

Bruno Leonardo disse...

Aulas, bem legal o tópico. Exclarecedor e de leitura simpática. Realmente você não eh o único louco que pensou isso